Língua

 

Ferimos as pessoas com a nossa língua. Não medimos nossas palavras e temos dificuldade de refrearmos a língua. Palavras nocivas, venenosas e destruidoras saem de nossa boa. Relacionamentos se acabam por julgamentos infelizes que fizemos.

 

Deveríamos falar menos. Pesar nossas palavras e permitir a ação da sensibilidade em nossas vidas. Lembro-me da oração feita por Sue Garmon, no livro “Convite à Solitude”de Brennam Manning: “E, Senhor, refreia minha língua. Ensina-me a falar com caridade ou então a nem abrir a boca”.

 

Precisamos falar com mais amor. Sermos menos ácidos. O mundo em que vivemos as pessoas se digladiam com palavras. Famílias rumam ao desequilíbrio por não valorizarem palavras doces na convivência. Contenda, dissabores, divisões e tristeza acabam surgindo, simplesmente, porque não usamos de forma saudável a nossa língua.

 

Vamos buscar falar com caridade ou então fechar a boca!

 

“O arreio na boca do cavalo comanda o cavalo inteiro. Com o pequeno leme de um grande navio o capitão consegue contornar a tormenta. Uma simples palavra pode parecer nada, mas é capaz de construir ou destruir quase tudo!”– Tiago 3:3-5

 

Paz e alegria!

 

Luciano “Manga”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: